Prevenção de estrias na gravidez

Durante a gestação ocorrem alterações endócrinas, metabólicas, imunológicas e vasculares que fazem com que a mulher grávida se torne mais suscetível a mudanças na pele, tanto fisiológicas, quanto patológicas. Por isso, a gestante deve ser orientada desde o início da gravidez a utilizar produtos adequados para seu tipo de pele, e próprios para uso durante a gestação, para prevenir alterações como estrias, melasma, acne, e etc…

As estrias ocorrem em aproximadamente 90% das mulheres grávidas, e localizam-se, preferencialmente, no abdomen, mamas, coxas, face lateral dos quadris e nádegas. Sua causa exata ainda é desconhecida, porém acredita-se que está relacionada à combinação da exacerbação da atividade córtico-adrenal associada à importante distensão do tecido conectivo devido ao aumento de volume de várias regiões do corpo. Observa-se também que mulheres que apresentaram estrias na adolescência têm maior predisposição a desenvolvê-las durante a gestação.

Elas podem surgir a qualquer momento no decorrer da gravidez, porém são mais frequentes no terceiro trimestre. Inicialmente, apresentam-se como bandas largas, de coloração avermelhada, bastante aparentes. Por conta do estiramento importante, é comum as gestantes queixarem-se de coceira e ressecamento da pele. Após o parto, com o tempo, as estrias tornam-se atróficas, com aspecto pálido, perda da textura normal da pele e ausência de anexos cutâneos, principalmente de folículo piloso.

Durante a gravidez ocorre aumento do fluxo sanguíneo em diferentes regiões do corpo, principalmente mãos e pés, o que aumenta a absorção de substâncias aplicadas na pele. Outra alteração que ocorre, é o aumento da quantidade de água no compartimento extracelular, o que promove maior hidratação da pele, e aumenta a absorção de produtos hidrossolúveis.

Dessa forma, para prevenir o surgimento de estrias na gestação, os hidratantes podem e devem ser utilizados durante a gravidez, assim como alguns produtos que oferecem benefícios adicionais, como protetores solares, antioxidantes e vitaminas. Os banhos devem ser frios ou mornos, e deve-se evitar uso de sabonetes em excesso, visto que agravam o ressecamento da pele. Podem ser utilizados óleos de banho ao invés de sabonetes, fazendo um rápido enxague e secando suavemente com uma toalha macia.

Diversas substâncias com potencial hidratante podem ser utilizadas durante a gestação, como colágeno, elastina, óleo de prímula, óleo de amêndoa doce, ceramidas, uréia (na concentração máxima de 3%) e outras. Muitos cosméticos naturais podem ser utilizados durante a gravidez, por não conterem substâncias químicas prejudiciais à saúde da gestante e do bebê, porém sempre devem ser prescritos por seu médico de confiança. É proibido o uso de produtos que contenham cânfora durante a gestação, por ser uma substância capaz de atravessar a barreira placentária e provocar efeitos embriotóxicos. Uma vez reconhecido o surgimento das estrias, deve-se iniciar o tratamento específico após o parto e/ou após a interrupção da lactação.

Além disso, é muito importante orientar a mulher grávida a evitar o ganho de peso excessivo, seguindo uma alimentação supervisionada por um nutricionista ou endocrinologista, e praticar regularmente exercícios físicos próprios para gestantes, sob a orientação de um profissional de educação física.

Dra Luiza Archer
Dermartologia e estética

Fonte: http://www.nutrindoideais.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *